sexta-feira, 20 de novembro de 2009

"Parabéns pra você... Nessa data querida..."


hehe... Hoje é meu aniversário de 28 anos. Confesso que já estive mais entusiasmado com os outros aniversários. 25, 26 e 27 anos foram idades fantásticas (pena que nunca mais voltarão), mas 28... Ainda não consegui me empolgar com essa idéia. Talvez seja a proximidade com os 30. Talvez seja a juventude indo embora... Ou os problemas da vida adulta (que não existiam quando eu era criança).

Um bom presente seria se o meu AMADO DEUS me desse sabedoria para que eu pudesse finalmente concluir o meu livro, e ser sempre um bom pai, um bom marido, um bom amigo, uma boa pessoa.

Ou talvez, quem sabe, convencer a minha esposa de que nós dois estamos mais do que prontos para encomendar o Matheus (ou quem a Rafaela, hehe). Sorte que ela tem mais "cabeça" do que eu, do contrário, já teríamos uns cinco filhos.

Amor... te amo! Filha... sou completamente e totalmente apaixonado por você! Meus amigos... o que seria da minha vida sem vocês?

Obrigado por tudo!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009


DEUS costuma usar a solidão para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos compreender o infinitivo valor da PAZ.
Outras vezes, usa o tédio quando quer nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
DEUS costuma usar o silêncio para nos ensinar sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes, usa o cansaço para que possamos compreender o valor do despertar.
Outras vezes, usa a doença quando quer nos mostrar a importância da saúde.
DEUS costuma usar o fogo para nos ensinar sobre a água.
Às vezes usa a terra para que possamos entender o valor do ar.
Outras vezes, usa a morte quando quer nos ensinar o valor da VIDA.
DEUS É PERFEITO!!!!!!!!!!!!!
:-)

domingo, 15 de novembro de 2009

TEM ALGUÉM AÍ????????????


Vem aí o NOVO LIVRO da minha escritora irlandesa preferida (depois de Maeve Binchy, é claro). TEM ALGUÉM AÍ? Chega às livrarias de todo o Brasil nesta sexta-feira, dia 20 de novembro (dia em que faço 28 anos, hehe).

Neste livro, Marian retorna ao engraçado lar da Família Walsh, onde muita coisa mudou após os 12 anos que se passaram desde os acontecimentos de MELANCIA, o primeiro livro da autora. Anna Walsh é a protagonista deste clássico. Mas a história começa com nossa heroína machucava, vivendo na Irlanda novamente (ela agora trabalhava em Nova Iorque), sem sabermos exatamente o porquê.

Além disso temos noticias das outras irmãs Walsh que um dia já fizeram parte de nossas vidas!
Sou suspeito pra falar, mas ADORO ESTE LIVRO!!!!!!!! Eu já o li em espanhol há um ano mais ou menos e digo: NINGUÉM VAI SE ARREPENDER!

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A difícil missão de investigar fantasmas na mansão Edbrook



Nada no estilo de filmes que estamos acostumados a assistir. Ok! Ilusões Perigosas é um longa de 1995, porém, ainda (digo ainda pelo fato de atualmente haver muitos recursos em efeitos visuais para que tudo pareça mais e mais real do que poderia ser) há muita qualidade nesta produção do diretor Lewis Gilbert.Como que um filme de quase 12 anos é atual? Simples a história é original, a edição bem feita e a atuação é de primeira linha: Aidan Quinn (David Ash), Kate Beckinsale (Christina Mariell), Sir John Gielgud, Anna Massey, Victoria Shalet, Alex Lowe, Anthony Andrews.


Em Ilusões Perigosas temos David Ash (Aidan Quinn), um professor de parapsicologia que se dedica a desmascarar charlatães durante sessões “espíritas”. Ele, bastante conhecido entre as pessoas, é chamado para investigar fantasmas que assombram a mansão Edbrook, no interior da Inglaterra. Contudo, ainda antes de ele exercer seu trabalho na Inglaterra, ele conheça a "ver" sua irmã gêmea com bastante freqüência. Detalhe: A garota morreu afogada no lago quando eles eram crianças, durante uma brincadeira de pega-pega.


Ao chegar na mansão Edbrook, David conhece a jovem e muito sedutora Christina Mariell (Kate Beckinsale), uma moça moderna, independente e charmosa. Sem dúvidas, David se apaixona logo que a vê, fazendo com que Christina seja algo mais do que um namoro de uma noite. Ao passo que David inicia as investigações, ele constata fenômenos que contrariam tudo o que acreditava saber a fundo: ele nota uma presença diferente da qual nunca havia desconfiado. Já o relacionamento de David com Christina e seus irmão ganha elementos cada vez mais estranhos, levando-o a uma situação muito perigosa, onde ele é levado a rever todos os seus conceitos.


Com o passar do tempo, o professor, exausto devido a uma série de acontecimentos estranhos e até inexplicáveis, começa a duvidar de sua própria sanidade mental e decide abandonar a casa junto com Christina. Eis o "X" da questão, apesar do profundo amor, a moça se recusa a partir, e também não permite que ele se vá.Ilusões Perigosas é um thriller assustador que possui um roteiro muito inteligente. Com trama que segue uma evolução lógica e envolvente, mostra a fotografia como outro ponto de destaque, que somada ao ótimo trabalho de direção e de atuação compõe um ambiente de mistério e suspense. Resultado: sempre há muitas dúvidas pairando no ar.


Contudo, estas somente são reveladas no final da história, com uma reviravolta muito interessante e aceitável. Os efeitos especiais da época de produção (1995) são usados na medida certa, sem dar a idéia de que há fenômenos impossíveis na mansão Edbrook. Seja para mostrar um incêndio ou uma aparição fantasmagórica. O longa de Lewis Gilbert mostra de maneira aceitável: a vidência, a materialização, a audiência e os sentimentos de afeição, os quais não são abandonados com a morte física. Vale a pena conferir!


LIVRO e FILME: Baseado em um livro de James Herbert, Ilusões Perigosas é a primeira experiência cinematográfica do diretor Lewis Gilbert no gênero suspense. Entretanto, ele o faz com maestria e excelência, pois no longa há muita ação, o que agiliza a história e faz com o expectador fique mais próximo a tudo o que acontece na fita. Todo o talento na direção deste filme pode ser visto em seus filmes anteriores da série James Bond: “007 - O Espião Que Me Amava” e “Com 007 Só Se Vive Duas Vezes”. Um thriller assustador, estrelando Aidan Quinn no papel de um professor de parapsicologia chamado para desvendar misteriosos fenômenos envolvendo a mansão Edbrook. Co-estrelando Kate Beckinsale, John Gielgud, e Anna Massey.


DVD: No DVD lançado no final de 2006, é possível assistir Ilusões Perigosas (Haunted) nas opções de legenda: Português, Espanhol, Coreano e idioma: Inglês - Dolby Digital 2.0. O longa de suspense que é recomendado para maiores de 16 anos, colorido, tem formato de tela Widescreen e Região 4.O Menu, bastante moderno, já mostra o quanto se esperar do filme, pois traz imagens de arrepiar. Além de tudo há vídeos dos Bastidores e entrevistas com os atores principais do filme. É simplesmente imperdível!
O texto é de Mary Ellen Farias dos Santos e foi extraído do site resenhando.com

sábado, 3 de outubro de 2009

domingo, 27 de setembro de 2009


SE ENAMORA (Turma do Balão Mágico)

Quando você chega na classe
Nem sabe
Quanta diferença que faz
E às vezes
Faço que não vejo e nem ligo
E finjo, ser distraída demais
Quantas vezes te desenhei

Mas não consigo
Ver o teu sorriso no fim
Te sigo
Caminhando pelo recreio
Quem sabe
Você tropeça em mim
Se enamora

Quem vê você chegar com tantas cores
E vê você passar perto das flores
Parece que elas querem te roubar
Se enamora

Quem vê você chegar com tantos sonhos
E os olhos tão ligados nesses sonhos
Tesouros de um amor que vai chegar
Quando toca o despertador

De manhãzinha
Me levanto e vou me arrumar
E vejoA felicidade no espelho
Sorrindo
Claro que vou te encontrar
Fico só pensando em você

E juro
Que vou te tirar pra dançar
Um dia
Mas uma canção é tão pouco
Nem cabe
Tudo que eu quero falar
Se enamora

Quem vê você chegar com tantas cores
E vê você passar perto das flores
Parece que elas querem te roubar
Se enamora

Quem vê você chegar com tantos sonhos
E os olhos tão ligados nesses sonhos
Tesouros de um amor que vai chegar
Se enamora

E fica tão difícil
De ir embora
E às vezes escondido
A gente chora
E chora mesmo sem saber porque
Se enamora
A gente de repente
Se enamora
E sente que o amor
Chegou na hora
E agora gosto muito de você

Festinha de DOIS ANOS da minha filhota!!!

hehe... hoje é domingo, dia 27 de setembro de 2009. Minha esposa e eu passamos o ano todo pensando e repensando todos os detalhes da festa da nossa filha - Maria Eduarda. Após escolher o tema - OS BACKYARDIGANS - a luta maior foi encontrar um local que coubesse em nosso orçamento e alguém para decorar o salão no dia da festa.
Ontem deu tudo certo, com a graça de DEUS. Grandes amigos nossos apareceram e todos se divertiram bastante. Até a "pequena Elarrat" (um grande amigo meu a chama assim) dormiu de cansaço depois que tudo acabou. Foi maravilhoso!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Amigos...


Poema aos Amigos (Jorge Luis Borges)


Não posso dar-te soluções
Para todos os problemas da vida,
Nem tenho resposta
Para as tuas dúvidas ou temores,
Mas posso ouvir-te
E compartilhar contigo.

Não posso mudar
O teu passado nem o teu futuro.
Mas quando necessitares de mim
Estarei junto a ti.

As tuas alegrias
Os teus triunfos e os teus êxitos
Não são os meus,
Mas desfruto sinceramente
Quando te vejo feliz.

Não julgo as decisões
Que tomas na vida,
Limito-me a apoiar-te,
A estimular-te
E a ajudar-te sem que me peças.

Não posso traçar-te limites
Dentro dos quais deves atuar,
Mas sim, oferecer-te o espaço
Necessário para cresceres.

Não posso evitar o teu sofrimento
Quando alguma mágoa
Te parte o coração,
Mas posso chorar contigo
E recolher os pedaços
Para armá-los novamente.

Não posso decidir quem foste
Nem quem deverás ser,
Somente posso
Amar-te como és
E ser teu amigo.

Todos os dias, penso
Nos meus amigos e amigas,
Não estás acima,
Nem abaixo nem no meio,
Não encabeças
Nem concluís a lista.
Não és o número um
Nem o número final.

E tão pouco tenho
A pretensão de ser
O primeiro
O segundo
Ou o terceiro
Da tua lista.
Basta que me queiras como amigo

Dormir feliz.
Emanar vibrações de amor.
Saber que estamos aqui de passagem.
Melhorar as relações.
Aproveitar as oportunidades.
Escutar o coração.
Acreditar na vida.

Obrigado por seres meu amigo.

domingo, 20 de setembro de 2009



Amor de mãe
Se eu ficar em silencio, não fale por mim
Se eu brigar com voce, me ouça
Se eu lhe abraçar, aconchegue-se mais
Se eu achar que estou certa convença-me do contrario
Se eu contar uma piada, sorria , mesmo que seja a do " leque"
Se eu lhe falar da vida fique atento, as mães tambem erram
Se eu lhe disser a verdade, duvide; so há uma: JESUS
Se eu lhe amar mais , tema pelo meu coração
Se eu morrer, nao fique so na saudade, diga que me ama, enquanto pode
Se eu viver ... não me deixe só.


Elenir Elarrat - minha mãe!


(Não é plágio é amor de mãe, regado com lagrimas saidas do coração, para a Fina Flor)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009


"Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, é porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra! Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que as pessoas não se encontram por acaso" - Charles Chaplin.

domingo, 13 de setembro de 2009

Como uma pequenina "totoca" mudou minha vida...

Minha esposa e eu casamos depois de seis anos de namoro e planos para o nosso futuro juntos. Ter filhos sempre fez parte deste futuro, mas fomos muito criticados pelo fato dela ter engravidado apenas um mês depois do nosso casamento.
Lembro da data exata que o primeiro exame de farmácia deu positivo. Dia 02 de fevereiro de 2007. O telefone tocou e ela saiu correndo para atender. A mim, coube a tarefa de ficar ali, esperando por aquela segunda listra do exame, que teimava em não aparecer.
Cinco minutos depois, apareci na sala, todo suado e tremendo da cabeça aos pés. Ela desligava o telefone e me encarava, esperando por uma notícia: "Amor, olha só"
Nos abraçamos e na mesma hora eu liguei para contar a novidade aos meus pais. Ela dizia: "você está louco? e se esse exame estiver errado?". Ainda fizemos mais um antes de corrermos para o laboratório. E no dia 9 de fevereiro, quando fomos pegar o resultado, eu fui até ela e disse: "Eu não falei que tinha alguém a caminho?"
Foi uma gravidez tranquila, sem enjôos, tonturas ou maiores imprevistos. E eu, desde os quatro meses de gestação dela, comecei a conversar com o bebê. Chamava-o de "totoca", que é um apelido que eu vi pela primeira vez no romance MEU PÉ DE LARANJA LIMA, de José Mauro de Vasconcelos. Nós pensávamos (pelo menos eu pensava) que seria um menino naquela época. Aos poucos, aquela criaturinha foi começando a conhecer a minha voz e dava saltos e mais saltos (dá pra saltar dentro da barriga?) sempre que me ouvia chamá-la.
Semanas mais tarde, descobrimos que era Maria Eduarda que estava a caminho e não Matheus, como havíamos planejado. Mas meu coração se encheu ainda mais de alegria, ao saber que seria pai de uma linda princesinha dentro de poucos meses.
Passava meu tempo vago pensando em como seria quando ela nascesse. Será que gostaria de ler, como eu? Será que seria calminha ou travessa? Em que escola estudaria? Será que ela iria gostar de mim? Tudo isso tirava meu sono.
Uma semana antes dela nascer, a obstetra que atendia minha esposa avisou que a cesariana seria marcada para o dia 24 de setembro, as 19, 19 e meia da noite. Preparamos tudo, inclusive os brindes para a maternidade e esperamos ansiosos pelos grande momento.
Deus havia nos preparado uma grande surpresa.
Eram duas e vinte da madrugada do dia 23 de setembro, quando minha esposa me chamou para dizer que a bolsa havia estourado. Saltei para fora da cama e corri imediatamente para o telefone. A médica atendeu logo no segundo toque. Eu lhe contei o que havia acontecido e ela pediu que fôssemos para a maternidade, tão logo fosse possível.
Chegamos lá antes das três e meia e um exame constatou que minha filhota poderia estar em sofrimento, por causa da cor do liquido amniótico, que estava bem escura. A cesariana começou as seis e quinze, e exatamente às seis e vinte dois, vi minha princesinha pela primeira vez. Ela chorou muito e se calou quando eu a chamei de "totoca". A médica disse que ela, na certa, reconhecera a minha voz. Fiquei todo besta e coloquei o meu dedo em sua minuscula mãozinha. Que fofura!!!
Ela ainda ficou algumas horas na U.T.I neo natal, mas foi para o quarto conosco antes do meio-dia. Foi uma alegria só! Agora, eu era pai e aquela bebezinha linda dependia de mim para um monte de coisas. Eu, que tinha o sono super pesado, acordava sempre que ela emitia qualquer gemidinho. E é assim até hoje!
Minha totoca mudou minha vida. E para melhor. Hoje, é maravilhoso chegar do trabalho e vê-la sorrindo me chamando "Óia o papai!". Sempre que possível, fazemos muitas coisas juntas. Leio histórias pra ela, assistimos ao filme do Shrek (ela adora esse filme) e passeamos de bicicleta pelo calçadão perto de casa. Foi uma experiência única que eu não sei se vai se repetir, mas que valeu a pena cada minuto e cada segundo da minha existência. Filha, o papai te AMA!

"Pensamentos soltos traduzidos em palavras..."


Hoje pela manhã, uma amiga me disse que as linhas do meu blog tinham um efeito cadiovascular positivo na vida dela e faziam bem ao cérebro e espantavam a depressão, hehe. Foi o elogio mais estranho que meus textos já receberam, mas gostei.

Quando escrevo, uso meu coração. Este blog pra mim é mais do que uma terapia. Terapia que não acreditava que fosse dar certo. Um amigo me recomendou e eu não dei muita bola. Se soubesse... já teria criado este Jardim do Éden há mais tempo. Sinto-me mais leve colocando meus pensamentos aqui. É como diz a música do Jota Quest: "São pensamentos soltos traduzidos em palavras/ pra você possa entender, o que eu também não entendo..."

Adoro essa música. Me faz pensar no verdadeiro sentido da vida. Faz bem ao Ego. Ajuda a viver...

sábado, 12 de setembro de 2009

Quando tinha uns 16 anos, vi um filme chamado TRÊS AMIGAS E UMA TRAIÇÃO na HBO. Logo de cara, antipatizei com a tradução que deram para o nome do filme, que no original, em inglês, se chama CIRCLE OF FRIENDS. Aos cinco minutos de filme, meu coração bateu mais forte, hehe.
A história se passa em uma cidade do interior da Irlanda, país que é alvo de uma estranha paixão por mim há alguns anos. Havia uma heroína romântica que era a minha cara, uma gordinha grandalhona e desajeitada que levava a vida da melhor forma possível. Minnie Driver deu vida a Benny Hogan, minha personagem preferida há mais de dez anos!
Benny e sua melhor amiga Eve vão à faculdade de Dublin (outra cidade linda de morrer) dar inicio as suas tão sonhadas vidas de universitários. Lá, elas reencontram Nan Mahon, uma amiga de infancia e Benny se encanta pelo misterioso Jack Folen, que no filme é interpretado pro Chris O D'onnell. A história vai passando e os dois acabam se apaixonando.

A traição dá nome ao filme no português vem de Nan, que fica desesperada ao descobrir uma gravidez que não fora planejada. O filho de um rico fazendeiro que nem em sonhos casaria com ela. Nan vai então atrás de Jack, que sofre com a ausência de Benny, que há muitas semanas não ia à faculdade por causa da morte de seu pai.
Chorei, ri e vibrei com cada momento desde filme maravilhoso. Mas queria mesmo falar sobre o livro que deu origem a este. Chama-se ENTRE O AMOR E AMIZADE (no inglês CIRCLE OF FRIENDS) e foi escrito pela encantadora MAEVE BINCHY, uma de minhas escritoras irlandesas favoritas.
Benny é bem mais racional no livro do que no filme. Tem muito mais a ver com a heroína romância que sempre sonhei em criar do que a Benny bobalhona que perdoa a traição de Jack e volta pra ele. Gostei muito mais do livro do que do filme.
Nan é uma personagem muito bem construída em todos os detalhes. Eve é uma órfã que comove e alegra qualquer um que se aproxime dela e Benny, bem... Benny é Benny. Não tem como falar mal dela.
O livro é magistralmente bem escrito e nos prende pelos pés logo nas primeiras quinze páginas. A cidade irlandesa onde vivem as meninas é tão apaixonante quanto suas histórias em si. E o primeiro encontro oficial entre Benny e Jack me fez torcer muito para que os dois dessem certo.
Um destaque para o momento do baile, onde ela consegue um vestido deslumbrante que a deixa ("toneladas mais magra"-uma das personagens do livro diz isso) e fisga Jack de vez.
Maeve Binchy faz bem ao cérebro, aquece o coração. Eu recomendo.

terça-feira, 8 de setembro de 2009


Se eu disser besteiras, ria de mim.
Se eu falar barbaridades, brigue comigo.
Se eu tremer de medo, me abrace.
Se eu tiver dúvidas, me convença.
Se eu não sorrir, conte-me uma piada.
Se eu não chorar, me fale da realidade da vida.
Se eu não sofrer, olhe nos meus olhos e me diga toda a verdade.
Se eu não viver, fale-me da morte.
Se eu não amar, me AME.
(Rafael Elarrat)


"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos". (Charles Chaplin)

segunda-feira, 7 de setembro de 2009


Outro dia, enquanto estava no hospital, minha mãe me deu a ideia de dividir meu livro A FINA FLOR em três romances de tamanhos moderados, formando assim uma trilogia (chique, não? Eu sempre quis escrever uma trilogia). Aceitei a sugestão, já que tenho mais 750 páginas escritas que tomam parte de uma unica história. Isso, porque retirei inumeras situações que já havia escrito para que o livro não ficasse muito volumoso. Agora, tenho mais liberdade para escrever um primeiro volume, sem me preocupar com o tamanho ou com o andamento da história em si.

O LIVRO UM da trilogia A FINA FLOR está praticamente pronto. Faltanto pequenos detalhes para que eu finalmente o registre em meu nome e comece a corrida por uma editora.

Helena Bevilácquia e Cia estão finalmente começando a existir!!

sábado, 29 de agosto de 2009


Ganhei este livro de presente de um amigo que há tempos em não via. Se não fosse assim, é pouco provável que ele tivesse chegado até mim por vontade própria. A capa em si já o condena um bocado. Soa como um livro infantil ou para pré-adolescentes. Demorou uns seis meses até surgir uma oportunidade na qual eu pude finalmente me sentar e ler este...clássico da literatura moderna.O livro é surpreendentemente bem escrito, com descrições na medida certa e apaixonante. Foi impossível largá-lo depois de ler as dez primeiras páginas. Devorei-o numa tarde! Foi sensacional.Não é segredo pra ninguém que os cenários britânicos foram, são e sempre serão os preferidos (e por que não dizer também os melhores?) no mundo literário do gênero de ficção/terror. E este pequeno livro é o exemplo perfeito disso. A ida de Edgar a casa de seu tio Montague já deixa todos nós, leitores, em alerta.É delicioso ficar viciado num livro tão simples, porém tão bem escrito como este.Apenas acho que o livro não deveria ser lido por crianças menores de 12 anos. Alguns desfechos dos contos são bem...diferentes para que uma criança de dez, onze anos consiga achar graça e continuar a leitura.As ilustrações de David Roberts completam este quadro. Dão ao livro o toque final para que ele chegue bem próximo da perfeição! Muito, altamente recomendável!!!

A amizade entre Dylan e Mingus é uma das coisas mais lindas que já vi na vida. Um professor que tive na universidade dizia que um bom leitor sente o cheiro da boa literatura a quilômetros de distância. Apaixonei-me por este livro desde o primeiro momento em que o vi na prateleira de uma livraria feia e sem maiores atrativos, na qual entrei só para esperar a chuva passar.A história é de uma simplicidade e beleza únicas. Até hoje, poucos foram os livros que li, capazes de despertar em mim uma vontade de mudar alguma coisa no mundo. Este livro nos faz pensar. Mexe com nossos sonhos, preenche o vazio de nossos corações.Jonathan Lethem nunca havia chegado nem perto dos meus ouvidos como autor, mas agora é está entre os autores que eu mais gosto no mundo. Boa literatura de primeiríssima linha. Altamente recomendável!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009



Finalmente posso usar esta frase aqui no blog. "ESTA FOGUEIRA, EU CONSEGUI PULAR!"

Foram semanas de agonia e hospital, remédios na veia, operações, enfermeiras, injeções e outras coisas desagradáveis que nem mesmo merecem ser mencionadas aqui. Mas tô vivo. A maldita pedra deixou meu rim e eu também já retirei o cateter que me transformava num mijão inveterado, hehehe. A vida é realmente bela! Tava morrendo de saudades da minha filha e da minha vida. Chorei (confesso!) muito e comecei a dar valor nas pequenas coisas da vida. Mas DEUS é maravilhoso e me livrou dessa! LOUVADO SEJA O NOME DO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO!

BENDITO SEJA O NOME DO SENHOR, ROCHA MINHA, QUE PREPARA AS MINHAS MÃOS PARA A PELEJA E OS MEUS DEDOS PARA A GUERRA!

Eu te amo, Senhor! Tua é a minha vida e a da minha família! Amém...

sábado, 15 de agosto de 2009


A equipe de professores da Escola Ruth dos Santos Almeida, toda junta no dia do aniversário da Plíncida.
Somos: Marinete, Roseane, Thiago, Tânia, Plincida, Rafael e Dulce
Minha filhotinha e os backyardigans. É difícil dizer quem é mais fofo!!! hehehe
Vem aí: O SEGUNDO ANINHO DE MARIA EDUARDA!!!

Depois de três dias mal-dormidos, muitas injeções e uma operação nada agradável, estou de volta a minha casa. A saudade da minha filhota era tanta, que pensei em me mandar do hospital ainda de madrugada, hehe.

A costa dói, as mãos também e os remédios continuam. Mas só de estar em casa, já me sinto bem melhor. Agradeço a todos os meus amigos pela força e orações para a minha recuperação.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Parada obrigatória: HOSPITAL


Estou, desde a última quarta-feira, internado num hospital particular de minha cidade, com uma baita pedra no rim direito. Agora pouco, meu médico passou por aqui e anunciou: Amanhã, vamos operar. Senti minhas pernas tremendo de cima a baixo e um suor estranho escorrendo pelas minhas costas.

Mas DEUS estará comigo e tenho certeza de que amanhã, nesse mesmo horário, já sou um homem livre. E sem pedras, hehe. Nervosismo à parte, estou confiante! Um abraço, amigos!

sábado, 8 de agosto de 2009

LA LOBA !!!


hehehe... a música SHE WOLF, o novo sucesso de Shakira, vazou na internet um dia antes do grande lançamento. Quem gosta da cantora (o meu caso) não vai se decepcionar. Sensualidade e "americanismos" à parte, ela continua fazendo um belíssimo trabalho!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Cuidado com a gripe!!!

Ontem, tive contato pela primeira vez com a verdadeira realidade da gripe suína no Brasil, mais precisamente em Belém do Pará, minha cidade natal. Estive no Hospital Nossa Senhora de Guadalupe e, logo na entrada, me ofeceram uma máscara e um pouco de álcool em gel para lavar as mãos.
"Por quê?" eu perguntei. Não me agradava a idéia de andar com aquele "troço" pra cima e pra baixo. "Há um caso suspeito em atendimento aqui, rapaz".
Pronto, não deu outra. Todo mundo estava usando máscara. Alguns estavam até meio assustados e ajeitavam o negócio de dez em dez segundos, com medo de que o virus entrasse com uma das frestas da máscara indefesa.
Na saída, retirei a máscara passei álcool em gel nas mãos de novo. Tudo parecia estar bem. Mas será que estava mesmo?

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Essa carinha é a maior recompensa!!!


Eu dormia a noite toda. Aos domingos, às vezes, lia por horas e horas sem nenhuma interrupção. Minha esposa e eu tínhamos todo o tempo pra namorar, conversar e fazer planos. Depois que essa baixinha nasceu, tudo mudou. É um corre, corre, uma confusão, uma emoção incomparável instalou-se em nossas vidas para sempre. Mas quem liga? Tem como não se APAIXONAR por ela? hehehe. Filha, o papai te AMA!

quarta-feira, 15 de julho de 2009

ABAIXO

Abaixo a hipocrisia e tudo aquilo que nos afasta da alegria.
Abaixo a falsidade e distância de tudo que não traz felicidade.
Abaixo a crueldade e toda e qualquer semente que gere maldade.
Abaixo a violência e toda e qualquer imagem da maledicência.
Abaixo a mentira e toda e qualquer intriga que resulte em ira.
Abaixo a falta de amor e tudo mais que faça uma alma sentir dor.
Abaixo o egoísmo e todo e qualquer sentimento que seja de pessimismo.
Abaixo a depressão e toda e qualquer lágrima amarga que maltrate o coração.

Mas...e se este coração estiver doente?
Sofra...Reze...Chore...Pense...
Mas nunca deixe de lutar para ele volte a estar contente.

Rafael Elarrat – julho de 2009

terça-feira, 14 de julho de 2009


Ver os ingressos comprados antecipadamente só me faz ficar ainda mais ansioso. Mas, de qualquer forma, já está marcado. HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE é o meu compromisso para a tarde de quinta-feira. Pra quem já leu todos os livros, os filmes nunca vão ser grande coisa, mas, de qualquer forma, é HARRY POTTER e nada do que se possa dizer ou gritar jamais será completo (hehe).

A Viajante do Tempo (mas quem viaja mesmo, é o leitor)

Resolvi aproveitar as férias para reler um dos livros que mais me prenderam durante dias e dias nesta minha curta vida literária. Falo de A VIAJANTE DO TEMPO, de Diana Gabaldon, no Brasil publicado pela Editora Rocco.
Descobri este livro enquanto fuçava a lista de catálogos da editora, no site deles. Apostei que ele seria um bom companheiro e não me arrependi. As mais de 700 páginas deste clássico narram a história de Claire e Frank Randall, que estavam casados há pouquíssimo tempo quando a Segunda Guerra Mundial começou. Ele foi para um lado e ela, para o outro. E anos se passaram até que tudo terminasse e os dois finalmente pudessem retomar as rédeas dessa relação.
O livro começa com o casal em férias (ou seria segunda lua-de-mel?) nas Highlands escocesas. Lá, eles assistem a uma cerimônia celta ambientada em um círculo de rochas considerado sagrado. Depois, ela volta ao local sozinha e é misteriosamente transportada no tempo para o ano de 1743, cerca de duzentos anos antes da época em que a história se passa.
No passado, Claire começa a ser perseguida por um ancestral de seu marido, mas encontra consolo nos braços de Jamie Frasier, por quem se apaixona e com quem casa, para fugir da ira de “Black Jack” Randall. O tal antepassado que seu marido Frank daria os dois braços para conhecer.
O trecho abaixo foi retirado da contracapa do livro A Viajante do Tempo...
Diaba Gabaldon é uma autora que fascina os fãs que a tornaram best-seller. Seu talento para contar histórias desdobra-se na invulgar capacidade de retratar a vida cotidiana dos habitantes das Highlands, temperando paixões e riscos com o humor e espírito escoceses. Alicerçando sua narrativa em personagens meticulosamente construídas, a começar pela própria Claire, a Inglesa, a Forasteira, mulher hábil, dotada de inteligência sensível, Gabaldon cria um romance que desafia rótulos: fantasia, história de amor ou ficção científica?
Cenas apaixonadas e peripécias se sucedem na trama, até que a heroína descobre uma forma de retornar ao ano de 1945. Mas será que Claire deseja mesmo voltar? As lembranças de seu marido estão esmaecendo e Jamie parece cada vez mais atraente.
(he he he...risos empolgados)
Este é o melhor livro que já li na vida. As continuações (sim, elas já existem!) não são tão maravilhosas quanto este, muito embora a história de amor entre Claire e Jamie precise de muitos livros (todos volumosos!) para ser contada.
No Brasil, temos a série OUTLANDER publicada com os seguintes volumes:
a) A Viajante do Tempo;
b) A Libélula no Âmbar;
c) O Resgate no mar (Volumes 1 e 2);
d) Os Tambores de Outono (Volumes 1 e 2);
Excelente sugestão de leitura para as férias meus amigos!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

O prêmio pela dedicação

Uma baixa crise de enxaqueca foi o que consegui graças a "ralação" até as três e meia da madrugada no último domingo. São os trabalhos em cima do meu livro - A Fina Flor, que eu preciso e quero terminar o quanto antes.
Trabalhar de madrugada é bom. O silêncio e o ar da noite são grandes companhias, pelo menos até minha filhotinha acordar berrando que quer sair do berço e vir para a cama, hehe. Aos meus amigos, agradeço a força, os trabalhos continuam. Este livro vai nascer! Um abraço

domingo, 12 de julho de 2009


Conheço algumas pessoas que permitiram que uma simples mágoa quase se tornasse um membro da família. Depois de anos de pensamentos e lembranças sobre aquela situação que resultou nisso tudo, aquele pequeno ressentimento finalmente cresceu o suficiente para se tornar uma mágoa.
É com vergonha que eu assumo que eu sou uma dessas pessoas.
Quando criança, eu tinha um amigo. Não vou dizer que éramos inseparáveis, porque ele sempre teve muitos outros amigos. Mas posso dizer com segurança que nos dávamos muito bem. Ele era, na verdade, o meu herói. Aquele que tinha roupas bacanas, bons brinquedos, excelentes idéias. Minha maior vontade era ser como ele.
Demorei a perceber o quanto ele era nocivo dentro da minha vida. Seus outros amigos não gostavam de mim e ele não tardou a “jogar pedras” tão logo surgiu a oportunidade. E lá foram quase quinze anos.
Nunca ouvi um pedido de desculpas (e nem espero ouvir) porque acho que ele é insensível demais para lembrar do que fez comigo. Então decidi que queria bani-lo da minha vida para sempre. Passei a mudar de calçada quando via que íamos nos esbarrar, pegava outro ônibus quando o via subir naquele que eu estava e deixei de freqüentar os lugares onde nós certamente iríamos nos encontrar. Só a bem pouco tempo atrás, desabafei com uma prima sobre este assunto. Fora ele, só minha mãe e minha esposa sabem do ocorrido.
Meu conselho de hoje aos meus amigos é que não sejam como eu. Conheçam as maravilhas do perdão e a leveza de um coração sem mágoas. Deus ainda não me livrou de tudo de ruim que sinto em relação a essa criatura, mas minha FÉ me diz que esse dia chegará. E antes do que eu imagino!
Mágoas: por que senti-las? É bem melhor ignorá-las. Um abraço, pessoal!

sexta-feira, 3 de julho de 2009


Ontem, minha esposa e eu fomos assistir à estréia de A Era do Gelo 3 aqui em Belém. Só lamentei não poder levar minha filhota, que é muito pequenina.
Da mesma forma que os primeiros filmes, este é sensacional, prende você logo nos primeiros minutos. Um destaque para o nascimento da filha de Manny e Ellie - Amora, que é linda demais, hehe.
Sid, como sempre, rouba a cena com seus "filhos adotivos". Muito bom mesmo, vale a pena!

quinta-feira, 2 de julho de 2009



Sou a pessoa mais suspeita do mundo para comentar um filme como "SEM RESERVAS", estrelado por Catherine Zeta-Jones e Aaron Eckhart. Adoro comédias românticas e faço de tudo para me apaixonar por elas. Com essa, não diferente.
Kate (Catherine) é uma chef de um grande restaurante que fica extremamente incomodada com a chegada de Nick. Ela é arrogante e mal-humorada e ele, totalmente o contrário.
Pra completar, a irmã de Kate morre e ela é a responsável pela guarda de sua sobrinha Zoe. A relação das duas é dificil. Zoe ainda é uma criança e sente muita falta da mãe. Mas, aos poucos, tudo vai dando certo.
Nick também vai abrandando o coração da chef e eles começam um namoro meio sem jeito que promete dar frutos num futuro bem próximo. Mas a arrogância dela sempre acaba falando mais alto.
Já no fim, quando ela percebe que o mundo não gira ao seu redor, há uma cena fantástica que eu não me canso de assistir. Kate está na cozinha do restaurante, com seu mal humor habitual. Uma funcionária do restaurante chega e diz que um cliente reclamou dizendo que seu filé não está mal passado como ele gostaria. Kate "cutuca" o filé com o dedo e diz: "Está mal passado". Sua chefe a manda fazer outro e ela o faz. Dez minutos depois o mesmo cliente manda o filé de volta à cozinha, perguntando se ela já viu um filé mal passado. A cena seguinte é sensacional. Kate espeta um filé cru em um garfão e sai andando em direção a mesa do antipático. Quando chega lá, joga o filé cru em cima dele, dizendo:
"__ ESTÁ BEM MAL PASSADO PRA VOCÊ?"
"__ Que é isso, você é louca?"
__ Sim! Por isso faço terapia!"
Hehehehe. Só esta cena já vale o filme todo! Muito bom, altamente recomendável!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

CONTRA A DEPRESSÃO - LEIA MARIAN KEYES


Um dia, há uns três anos atrás, eu procurava desesperadamente um livro para ler. Depois de algumas horas, achei um tal de FÉRIAS, de uma escritora irlandesa que eu nunca havia ouvido falar- Marian Keyes - uma mulher de meia idade, não muito bonita e com uma boca tipo Daniella Cicarrelli. O livro em si, cativou-me logo na primeira frase (hehe) "Diziam que eu era toxicômana". Eu nem sabia o que era toxicômana! Daí comecei a ler e adorei. Era a história de Rachel Walsh que era internada pelos pais numa clínica de reabilitação para se livrar das drogas. O livro é cheio de flashbacks que contam a vida de Rachel antes da clinica, em Nova York. Sua amizade com Brigit, seu amor por Luke Costello, é ótimo. Daqueles livros que você não consegue mais largar quando pega.

Depois, vieram MELANCIA, SUSHI, CASÓRIO, É AGORA OU NUNCA, LOS ANGELES e UM BESTSELLER PRA CHAMAR DE SEU (o meu favorito), igualmente engraçados e bem escritos. Por isso eu digo, contra a depressão, leia MARIAN KEYES!!! Altamente recomendável!

Quem trabalha o ano todo espera ansiosamente pelo mês em que finalmente vai poder "pendurar as chuteiras" e sair de férias . Quando você é professor (o meu caso), este momento é ainda mais esperado. Alunos gritando, você em pé o dia todo, gritando, falando alto, repetindo explicações pela nojentésima vez, fazendo chamada, colocando pra fora, emprestando livros (dessa parte eu gosto) e trocando idéias. Apesar de tudo, amo minha profissão, acho que não saberia fazer outra coisa na vida, muito embora o curso de Jornalismo ainda me atraia.
É hora de dormir até tarde, ver filme repetido, ir ao cinema, ao circo, ao museu, curtir a filhota e a esposa. "Vamos a la playa..."

terça-feira, 30 de junho de 2009

Sou alguém que sonha não ser mais um simples rosto no meio da multidão.
Sou alguém que sonha em fazer mais AMIGOS do que INIMIGOS.
Sou alguém que LÊ e ESCREVE tanto quanto respira.
Sou alguém que AMA e é AMADO (Graças a DEUS) todos os dias.
Sou um cara cercado de mulheres (Minhã mãe, minha esposa e minha filha, hehehe)
Sou um professor "diferente". Primeiro faço amizade com os alunos e depois tento ensinar-lhes alguma coisa.
Sou um cara que detesta gente grossa, hipócrita, falsa e com duas caras (E você sabe de quem estou falando)
Sou um cara que já leu MOBY DICK, A BALEIA BRANCA pelo menos cinco vezes (quase todas na adolescência) e sempre vibra a cada nova batalha do Pequod contra a "vilã" dos sete mares.
Sou um moleque que vive dentro do corpo de um cara de 27 anos, apaixonado pela vida, pela esposa e pela mini-mini-pessoinha que é a sua filha (Mª Eduarda, minha princesa, o papai te AMAAAAAA)
Sou um homem com poucos amigos, mas que sabe que eles estarão por perto a hora que for. Ouviram? É com vocês mesmos.
Sou um cara que curte a Irlanda e tudo o que vem de lá, desde U2 até MAEVE BINCHY e MARIAN KEYES, minhas escritoras favoritas.
Sou um professor de espanhol que tenta em vão convencer os alunos de que o livro DON QUIJOTE DE LA MANCHA é uma das melhores coisas que já surgiram sobre a superficie terrestre, mas eles.... relutam muito em acreditar.
Sou um cara meio doido que gosta de assistir filmes repetidamente, até decorar as falas e ficar repetindo no ouvido dos outros, convencendo-lhes de que você é normal (hehe).
Sou um cara saudoso do melhor amigo, que embora more na mesma cidade, quase não vejo (ele sabe quem é, esse "queixudo" sem vergolha)
Sou um cara com fobia a lugares algos, largatixas e livros de auto-ajuda (e qualquer outro lixo escrito por Paulo Coelho).
Sou um cara alérgico a poeira e a pessoas com mania de limpeza (confuso, não?)
Sou um cara com um pé gigantesco, tamanho 44 que sempre vai ter dificuldades para comprar sapatos.
Sou um cara "acima do peso" que jura começar uma super dieta no dia do feriado de São Nunca, todo santo ano.
Sou um cara que conta piadas quando não sabe o que dizer e confere coisas quando o nervosismo fala mais alto (um dia desses descobri o nome disso- T.O.C- transtorno obsessivo compulsivo)
Sou um cara com incriveis olhos quase verdes herdados (com muito orgulho) do meu avô materno SIMAO ISAAC ELARRAT, que morreu quando minha mãe tinha apenas 8 anos de idade. Vô, adorei o presente! Posso dizer que vou levá-lo comigo o resto da vida.
Sou um cara meio "barraqueiro" quando é preciso, mas que depois fica morto de vergonha no dia seguinte.
Sou um... Ah, acabou o espaço! Poxa, eu tava chegando na melhor parte... hehehe

Os trabalhos continuam...

Encerram-se hoje as aulas em toda a rede pública de ensino. Para os professores, é tempo de férias e de curtir a família e os projetos pessoais. Pretendo dedicar pelo menos três horas do dia para trabalhar no meu livro. Um abraço a todos!

Estou lendo o primeiro volume da versão em Espanhol da série Harry Potter. A tradução foi bem mais respeitosa do que a brasileira, onde Lya Wyler simplesmente inventou um monte de nomes (a começar por moogles, que virou "trouxas") e sugeriu que as crianças do Brasil não são capazes de entender uma história com nomes estrangeiros.
É sensacional conhecer um pouco mais da série, mais perto de sua originalidade. Eu recomendo a série para quem domina o espanhol. É sensacional!

Minha rainha...


Assumo. Tive uma única namorada em toda a minha vida. A paixão foi tanta, que casei com ela e estamos juntos até hoje! Nunca conheci outra boca que não fosse a dela e nem senti outro cheiro que não fosse o dela. Foi um pacto que fiz com DEUS e comigo mesmo quando tinha apenas 13 anos. Esperar a pessoa certa aparecer e agarrar essa oportunidade com unhas e dentes para o resto da vida.
Plíncida e eu nos conhecemos na universidade, no curso de Letras, para ser mais exato, onde começamos a namorar.
Pouco tempo depois, ficamos noivos, e em 2006 nos casamos. A vontade de ter filhos era tanta, que esperamos somente um mês depois do casório para engravidar. Nossa "totoca" nasceu em setembro de 2007 e encheu, ainda mais, nossos corações de alegria. Amor... sou eternamente apaixonado por você!

Ser pai...


Quando minha esposa e eu fizemos o curso de gestantes, todos os presentes se surpreenderam quando eu contei que, diferentemente da maioria dos casos, fui EU quem deu a notícia à ela de que nós dois seríamos pais.
Foram anos de namoro e planos de ter filhos... e exatamente um mês depois do nosso casamento, veio a confirmação de que realmente "alguém estava a caminho".
Eu disse isso a minha mulher no exato momento em que as duas litras apareceram no teste de gravidez que nós dois havíamos concordado em fazer. Ela havia corrido para atender minha sogra ao telefone, enquanto a mim, coube a tarefa de ver, pela primeira vez, um sinal de minha filha já havia sido feita, rss.
Ainda confirmamos com um teste de laboratório e só depois contamos a novidade a todos. Até os 4 meses, não sabíamos quem, de fato, estava vindo, se o Matheus ou a Maria Eduarda. E o primeiro Ultrasom não mostrou nadaaaa! Voltamos pra casa frustrados e ansiosos, mas logo em seguida, uma semana depois, a dudinha deu o ar de sua graça pela primeira vez. Até hoje, assistimos ao DVD com as imagens e é impossível não se emocionar.
No dia 23 de setembro de 2007, minha mulher me acordou às 2 da magrugada com as seguintes palavras (nunca vou esquecer): "amor, não te assusta, mas a bolsa estourou".
Corremos para a maternidade e às seis e vinte da manhã de domingo, minha filha veio ao mundo. Eu a segurei no colo pela primeira vez ainda na sala de parto. E foi paixão à primeira vista.
Hoje, meu sono pesado entrou em extinção, minha sede de ler um livro por semana se resumiu a um livro por mês (quando dá, hehe) e minha vida gira em torno dessa baixinha de um ano e meio que me chama de "babai". Ser pai é fantástico! É preciso!
Filha, te AMO!

A Fina Flor...


Em 2005, eu passava prova para alguns alunos da 4ª estapa em um colégio do estado de minha cidade quando um artigo em uma revista que eu havia tirado de um aluno antes do início da prova me chamou a atenção. "Conheça a Irlanda, você vai se apaixonar"Não sei dizer quantos alunos colaram durante a meia hora que fiquei devorando aquele artigo. Mas sei dizer que poucos minutos foram suficientes para que a minha paixão pela República da Irlanda viesse à tona ou simplesmente "subisse ao palco", como uma de minhas personagens costuma dizer.Em casa, mais tarde, rascunhei alguns personagens e dei nome à protagonista da minha história - Helena. Só alguns dias depois, veio o resto do nome dela. E demorou um bocado pra surgir a srta. Helena Cristina Bevilácquia Moraes, como ela é hoje em dia.Também rascunhei detalhes da trama e do ambiente em que se passaria a história aqui no Brasil. Criei uma cidade, uma floresta, uma rua, uma história. Criei uma cena que acabou sendo excluída da versão final do livro, anos depois. Era una cena de briga entre Helena e seu pai - Pedro, um alcoolatra que se recusa a receber ajuda.Na sinopse, Helena abandona a família para correr atrás de um sonho. Se arrepende, mas como não há como voltar atrás, resolve dar certo de qualquer jeito.Faz 4 anos que comecei esta história e agora, preciso urgentemente terminá-la.Um abraço, amigos...